domingo, 21 de dezembro de 2014

SUA FAMÍLIA VALE MAIS...

Algumas passagens na Bíblia podem nos passar desapercebidas, mas todas são repletas de grandes ensinamentos.
Quero meditar em uma profecia dada por Deus a Josué:
Josué 6:26: “Maldito diante do Senhor seja o homem que se levantar e reedificar esta cidade de Jericó: Com a perda do seu primogênito a fundará, e com a perda do seu filho mais novo lhe colocará as portas”.

Agora vamos analisar o cumprimento desta profecia no 1º livro dos Reis:
I Reis 16:34: “Durante o seu reinado, Hiel, de Betel, reconstruiu Jericó. Lançou os alicerces à custa do seu filho mais velho, Abirão, e instalou as suas portas à custa do seu filho mais novo, Segube, de acordo com a palavra que o Senhor tinha falado por meio de Josué, filho de Num.”
Aqui quero trazer uma meditação para mim e para você:
Será que vale a pena sacrificar nossos filhos e famílias em torno de "construir" nossos sonhos?
Será que vale a pena dedicarmos tanto aos nossos objetivos e "abandonar" nossos filhos. Adianta termos sucesso em nosso ministério ou empresa enquanto sacrificamos nossa família, enquanto sacrificamos nosso tempo com nossos filhos, nosso tempo com o cônjuge?
Não sacrifique sua família em prol de seus objetivos pessoais, faça eles sonharem juntos!
SUA FAMÍLIA VALE MAIS...

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

As quatro falhas espirituais

Antes de entrarmos no cerne da nossa discussnão é. Existem quatro concepções errôneas sobre a espiritualidade e a maturidade cristã que simplesmente não são à prova d’água. Advertência: Elas podem ser uma surpresa para você, talvez até um choque; portanto, fique firme.
ão sobre uma espiritualidade verdadeiramente atingível, vamos deixar cla­ro o que a vida cristã 

Primeira Falha: Por ser cristão, todos os seus problemas serão resolvidos. Prestamos um grande desserviço a um in­crédulo quando o fisgamos com a frase: “Venha a Cristo e todos os seus problemas vão acabar”. A Bíblia nunca diz isso. Ela promete que seremos novas criaturas, garante que teremos um destino seguro, mas não pressupõe uma desci­da suave ladeira abaixo uma vez que Cristo entre na vida da pessoa. De fato, em alguns casos os problemas aumen­tam e a estrada fica mais difícil!

Segunda Falha: Todos os problemas que terá de enfrentar estão mencionados na Bíblia. Não estão. É bem pouco sábio fazermos declarações amplas, abrangentes, em relação a pontos sobre os quais as Escrituras não falam. Muitas ve­zes não encontramos uma resposta explícita na Escritura para o nosso problema específico. Nessas ocasiões, somos forçados a andar pela fé, confiando no Senhor para mos­trar-nos o próximo passo conforme necessário. A Bíblia simplesmente não oferece uma resposta específica para cada problema da vida.

Terceira Falha: Se você está tendo problemas é porque lhe falta espiritualidade. Não é triste que essa idéia seja anunciada em muitos lugares hoje? A existência de um problema simplesmente mostra que você é humano! Todos temos problemas e você não deixa de ser espiri­tual porque luta com um dilema. Na verdade, muitos dos homens e mulheres mais espirituais que conheço enfrentaram alguns dos mais difíceis problemas que a vida oferece.
Pense em Jó e no seu sofrimento. Ele não tinha uma resposta. Ele não compreendia o porquê. Seus conselheiros, com suas declarações rígidas e precipitadas, estavam total­mente enganados; eles também não sabiam as respostas. Embora Jó fosse espiritual, tinha problemas enormes.

Quarta Falha: A exposição a ensinamentos bíblicos sólidos resolve automaticamente os problemas. A instrução bíblica por si só não resulta em soluções instantâneas dos problemas. Por mais confiável que seja o ensino, ou quão talentoso o professor, a declaração da verdade não proporciona a re­moção das dificuldades.
Pense nas Escrituras como um mapa absolutamente exa­to. O mapa lhe diz como chegar a um determinado desti­no. Mas o fato de apenas olhar um mapa não irá transportá-lo automaticamente ao Arizona, à Inglaterra ou ao Peru. Para chegar a esses lugares você terá de se esforçar… pagar o preço… arranjar tempo para a viagem… permanecer nela até chegar ao destino.
O mesmo acontece na vida cristã. O mapa de Deus é confiável e está disponível. Ele também é claro e direto. Não há, porém, nenhum artifício em suas páginas que en­vie automaticamente o leitor ao seu destino por meio de um tapete mágico.
PERSEVERANÇA
Charles Swindoll

sábado, 27 de julho de 2013

Quase 40% dos jovens entre 16 e 24 anos são evangélicos


Quase 40% dos jovens entre 16 e 24 anos são evangélicos
Os números mostram o crescimento dos evangélicos em comparação ao Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontava um percentual de 63% de católicos entre os jovens com idades entre 15 e 24 anos. Segundo a pesquisa, os católicos representam hoje 44,2% nesta faixa de idade.O instituto de pesquisas Data Popular ouviu, no mês de maio, 1.501 pessoas em 100 cidades de todas regiões do país para saber qual a religião preferida dos brasileiros entre 15 e 24 anos. Segundo o levantamento, 37,6% dos jovens entrevistados se declararam evangélicos, 6,7% de outras religiões e 11,5% afirmaram não possuir religião.
Dos 190,7 milhões brasileiros, 34,1 milhões são jovens entre 15 e 24 anos. O país tem 123,3 milhões de católicos, sendo 21,8 milhões jovens. Segundo o IBGE, o percentual de católicos no país recuou de 73,6% em 2000 para 64,6% em 2010.
A pesquisa também aponta que o crescimento dos evangélicos está relacionado, principalmente, devido à entrada nas classes C e D, que possuem o maior número de jovens. Segundo o presidente do Data Popular, Renato Meirelles, as novas formas de tecnologia utilizadas pelos evangélicos é um exemplo da vantagem que possuem em relação aos católicos.
“Hoje você vê funk gospel, samba gospel – modelos que só mais recentemente começamos ver na Igreja Católica”, avalia.
Meirelles também destacou o crescimento acentuado dos evangélicos, apontado já no Censo de 2010. Segundo ele, os números do Data Popular confirmam a queda católica também entre os jovens.
Frequência na igreja
Os evangélicos são proporcionalmente os mais assíduos à igreja, segundo a pesquisa. Entre os brasileiros com 18 anos ou mais, 52% responderam ter ido mais de quatro vezes no mês à igreja, 34% de uma a quatro vezes e 14% nenhuma. Entre os católicos, 48% afirmaram não ter ido nenhuma vez à igreja no último mês, 45% disseram ter ido de uma a quatro vezes e 7% mais de quatro vezes. Com informações G1.

POR QUE OS EVANGÉLICOS ESTÃO SE SURPREENDENDO TANTO COM O PAPA FRANCISCO?

Por Renato Vargens
Antes de qualquer coisa preciso afirmar que não sou católico e que respeito a opção de fé de quem quer que seja. Afirmo também que possuo sérias divergências com o Catolicismo Romano quanto a aspectos doutrinários e teológicos os quais considero fundamentais. Discordo da veneração dos "Santos", da "mariolatria", da infabilidade papal, do ecumenismo, de sua soteriologia universalista, bem como de sua cristologia miscigenada.

Isto posto, vamos ao artigo:

A vinda do Papa Francisco ao Brasil tem despertado não somente a atenção da população em geral, como também dos evangélicos que  não se cansam de elogiar o bispo de Roma. Basta olharmos as mídias sociais que constataremos isso. Na verdade , tornou-se comum encontramos evangélicos enaltecendo publicamente a postura simples do Papa.

Diante disto resta-nos indagar o por que de tal comportamento, visto que o protestantismo possui inúmeras divergências teológicas com o catolicismo romano.

Na minha opinião a valorização do Papa se deve em parte a insatisfação que os evangélicos tem feito quanto ao comportamento de alguns dos seus líderes, senão vejamos:

1- O papa passa uma imagem de simplicidade, enquanto os "apóstolos" tupiniquins ostentam riquezas.

2- O papa demonstra gostar de gente e de se relacionar com o povo, já os "apóstolos" tupiniquins preferem a ostentação de títulos eclesiásticos, além é claro da nítida e clara separação do restante do povo.

3- Ainda que tenha MUITO dinheiro, mesmo porque a Igreja Católica Romana é milionária, O Papa Francisco ostenta uma vida simples, sem muitas riquezas que se reflete na forma com que vive; já os "apóstolos" tupiniquins, fazem questão de ostentar riqueza, poder e glória.

4- O Papa Francisco demonstrou simplicidade em voar num avião comercial, em carregar sua própria mala, em dormir num mosteiro numa cama de solteiro, em andar em carro comum, em se relacionar com o povo sem protocolos, pompa ou exigências. Já os "Apóstolos" tupiniquins andam de avião particular, exigem hotéis cinco estrelas, além é claro de exigirem uma série de obrigações a todos àqueles que os convidam para pregar o Evangelho de Cristo.

5- O Papa tem falado de Cristo,  os "apóstolos" tupiniquins só falam em dinheiro.

Caro leitor, a falta de compostura por parte de alguns dos líderes evangélicos, além é claro das heresias propagadas por "apóstolos" fraudulentos que teimam em contrapor-se aos ensinos das Escrituras, tem levado aos cristãos protestantes desse imenso país a valorizar pessoas como Francisco, que mesmo tendo uma fé diferente do protestantismo histórico, comporta-se (pelo menos aparentemente) como homens de Deus deveriam se comportar.

Pense nisso!

Renato Vargens

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Deus não precisa de estrelas para executar a sua obra


“Não basta ter luz na mente, é preciso ter fogo no coração”. Com esta ideia o Pr. Hernandes Dias Lopes – teólogo, escritor, conferencista e atualmente diretor executivo da editora Luz para o Caminho – alertou para a importância de manter a humildade no ministério e ter sempre em mente que Deus é o único merecedor de toda a glória e honra.
Em entrevista exclusiva ao Guiame, Hernandes falou sobre a simplicidade do personagem bíblico Elias, a atual banalização do evangelho que a Igreja vive de modo geral e o perigo do ativismo religioso para qualquer líder cristão. Confira na íntegra.
Guiame: Elias é exemplo, também por sua humildade. O que leva líderes a se exaltarem ao nível que estão hoje? Ignorância das ovelhas ou dos próprios ministros? Hernandes Dias Lopes:  A auto-exaltação de alguns líderes evangélicos é uma atitude insensata, pois no Reino de Deus maior é o que serve e aquele que se humilha é que será exaltado. Deus abomina a soberba e não tolera o culto à personalidade. Essa tendência vergonhosa é resultado da soberba dos líderes e da ignorância do povo. Colocar um líder no pedestal é uma atitude indigna, pois todo líder tem os pés de barro. O único nome que deve ser exaltado na igreja de Deus é o nome de Cristo.
Guiame: Muitos pastores estão “matando” suas igrejas com tanta cultura e tão pouca espiritualidade. Como encontrar um equilíbrio entre o conhecimento acadêmico e a vida espiritual? Hernandes Dias Lopes: O divórcio entre academia e piedade, ortodoxia e ortopraxia, pregação e oração é um dos mais graves problemas da igreja contemporânea. Temos investido muito na cultura da cabeça e muito pouco na cultura do coração. Damos muita ênfase ao conhecimento e quase nenhuma à piedade. Não que estejamos estudando muito ou pelo menos o suficiente para sermos obreiros aprovados, mas conhecimento sem vida não produz resultados que glorificam a Deus. Não basta ser uma igreja sólida na doutrina se aplicamos essa doutrina na vida. Não basta ter luz na mente, é preciso ter fogo no coração.
Guiame: Achamos que a obra do Senhor é nossa prioridade, enquanto precisamos conhecer a Deus acima de tudo. Como podemos evitar de sermos “engolidos” pelo “ativismo religioso”? Hernandes Dias Lopes: O Deus da obra é mais importante do que a obra de Deus. Nossa maior prioridade não é fazer a obra de Deus, mas conhecer o Deus da obra. Vida com Deus precede trabalho para Deus. O Senhor está mais interessado em quem nós somos do que no que nós fazemos. O ativismo pode ser uma armadilha para nos manter ocupados demais, descentralizados demais e inócuos demais. Precisamos entender que a obra de Deus deve ser feita com os recursos de Deus e para a glória de Deus e não com os nossos próprios recursos para nossa própria exaltação.
Guiame: A humanidade tem se esquecido de estar na dependência do provedor e tem acreditado  em sua própria provisão.
Precisamos vizualisar dificuldades para conhecer de perto o Deus da provisão? Hernandes Dias Lopes: Há um enorme perigo de substituirmos o Deus das bênçãos pelas bênçãos de Deus e o provedor pela provisão. É fácil depender da provisão quando nós a temos e a administramos. Precisamos saber que a fonte do nosso sustento vem de Deus, pois mesmo que os nossos celeiros estejam vazios, os de Deus estão abarrotados. Precisamos confiar que quando nossa fonte seca, os mananciais de Deus continuam jorrando. Desta forma, quando Deus nos matricula na escola do deserto e sentimos a falta da provisão, podemos saber que ele onde estamos, como estamos, o que devemos fazer e para onde devemos ir. Nesse momento, mais do que nunca, precisamos depender mais do provedor do que da provisão. Obviamente não é necessário passar por uma crise para sabermos disso, podemos mesmo na fartura saber que tudo que somos e temos veio de Deus, é de Deus e deve ser consagrado de volta para Deus.
Guiame: Encontra-se atualmente pregações sem efeito. O fato de não se viver o que se prega pode explicar tal “fenômeno”? Hernandes Dias Lopes: Nem todos os que proferem a Palavra de Deus são boca de Deus. A Palavra de Deus era verdade na boca de Elias. O bastão profético tinha virtude nas mãos de Eliseu, mas não nas mãos de Geazi. A vida do pregador é sua própria ferramenta. Essa ferramenta precisa estar afiada. O pregador é um vaso e esse vaso precisa estar limpo para ser um vaso de honra. Uma vida imiscuída com o pecado não pode alcançar êxito na pregação. Sem santidade não há vitória na pregação. Precisamos pregar com fidelidade, com piedade, com lágrimas e na virtude do Espírito Santo.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

cuidado com o teu coração!

CUIDADO COM O TEU CORAÇÃO!
Água fria e o seu coração




 Este é um artigo muito bom. Não só sobre a água quente após a sua refeição, mas acerca de ataques cardíacos.

Os chineses e os japoneses bebem chá quente com as refeições, não água fria, talvez seja hora de mudar seus hábitos de consumo.

Para aqueles que gostam de beber água fria, este artigo é aplicável a você. É bom ter um copo de bebida quente após a refeição.

A água fria solidifica o alimento gorduroso que você acabou de

sábado, 17 de dezembro de 2011

Igreja drogada! (desabafo pastoral)


Igreja drogada

                Estive assistindo em um programa de televisão esta semana sobre a dificuldade que os dependentes químicos têm de parar de usar drogas.
                Todos afirmaram saber o mal que isto causa as suas vidas e sua saúde, levando muitos até mesmo a morte, mas por outro lado, o êxtase do momento e a necessidade que o organismo sente desta química, os fazem continuar.
                Logo me veio à mente uma coisa. A Igreja está drogada!
                Temos visto um evangelho sem efeito, sem causa, uma droga no meio do povo de Deus. Pessoas apresentam um falso evangelho que tem matado o corpo da igreja, mas ao mesmo tempo esta igreja está totalmente viciada nesta falsidade. Um povo que começa a acreditar em promessas que seu Deus não faz, se corrompe por dinheiro, se alegra por barulhos como lata vazia, sermões sem conteúdo, mas que animam a massa. Pergunte para alguns crentes sobre o que ele vai fazer na igreja. Você terá uma grande resposta: Vou buscar vitória, bênção, prosperidade! Por quê? Porque é isto que ensinamos estas pessoas a fazerem durante anos, e agora, eles viciaram nisto.